Buscar
  • Crosby Oficial

IDENTIDADE ORGANIZACIONAL: O QUE É?

Identidade organizacional flui da organização para a opinião pública, e podemos defini-la como o DNA da empresa. Também pode ser uma questão de auto reflexão: quem somos enquanto organização. A identidade tem três pilares essenciais: centralidade, permanência e distintividade. Vamos falar um pouco sobre estas características!


Centralidade: tem como foco os atributos fundamentais que representam o que é a organização, seus objetivos e sua missão. Refere-se ao que é central como um sistema interno de crença, valores e normas que constrói o sentido para a opinião interna sobre o que é a organização.


Distintividade: marcadores de diferença, que definem sua individualidade diferenciando-a do todo, promovendo sua unicidade.


Permanência: enfatiza a longevidade da identidade organizacional. Os atributos que são mantidos ao longo do tempo, que perpassam gerações. Em uma palavra: historicidade.


Identidade organizacional é a expressão da personalidade da organização, manifestada no comportamento, no posicionamento social e na comunicação. Pode ser também mensurada como resultado percebido pela opinião publica.


Alguns estudiosos partem do princípio que não há uma identidade, mas várias identidades em uma mesma organização, da mesma forma que não há uma única cultura e, sim, várias culturas. Hall (1992) enfatiza que a identidade não é estável ou fixa, mas social e historicamente construída, estando sujeita a contradições, revisões e mudanças.


Em Bauman (2005), tornamo-nos conscientes de que a identidade não têm a solidez de uma rocha, não é garantida para toda a vida, sendo bastante negociável e revogável, submetida a processos de mudança, transformação e (re)construção.


Por exemplo, no âmbito da concepção baumaniana de “modernidade líquida”, discute-se hoje como manter uma identidade forte, centrada nos valores e princípios que sustentam a organização diante de mudanças que, em grande parte, podem alterar o sentido de ser da organização.


O desafio é manter a identidade entre o que é estável e o que é fluido. Como manter as

características que determinam o núcleo da identidade e o que pode ser alterado sem

comprometer a percepção da opinião pública sobre o sentido maior de “ser” da organização.


A identidade organizacional costuma ser identificada como imagem pretendida e como autoimagem, em distinção à imagem real, uma vez que as duas primeiras dizem respeito àquela leitura ou representação que uma organização gostaria de merecer da opinião publica externa e interna, sendo que a autoimagem está associada à imagem que uma

organização recebe da opinião interna.


Interessante, né? Segunda-feira que vem vamos debater sobre Imagem Organizacional, que é bem diferente da Identidade Organizacional! ;D

54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo